Exposição Um Passado Presente


O sertão é tema da exposição “Um passado presente” que está aberta na Reitoria da Univasf

Mostrar o dia a dia dos sertanejos, a sua lida no campo, as brincadeiras de infância. Essas são algumas das cenas retratadas na exposição de pirografias sobre madeira “Um passado presente”, do artista plástico Reginaldo Araújo, que está aberta até 20 de maio no Hall da Reitoria da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), no Campus Centro, em Petrolina (PE). A visitação é gratuita e aberta ao público.

A mostra é formada por 30 quadros elaborados com a técnica de pirografia, que consiste em produzir desenhos em madeira utilizando um aparelho com uma ponta de metal quente, o pirógrafo. Autodidata, Araújo aprendeu a técnica há 16 anos. “É um trabalho mais complexo do que a pintura, pois não pode ter erro, não tem corretivo”, observa. Ele ressalta os tons de marrom das obras, que representam o sertão castigado.

O artista representa nas obras suas memórias de infância em Sento Sé (BA), quando ajudava o pai, que era pescador. “Eu vivi dentro desse cenário e o valorizo muito. Tenho sempre o sertão como inspiração”, diz. Foi aos 7 anos que ele começou a desenhar e aos 12, passou a utilizar a técnica de pintura sobre óleo nas suas representações do semiárido. Iniciava, então, seu percurso pelos caminhos das artes.

Atualmente, ele reside em Juazeiro (BA), de onde saiu para ganhar o mundo através de exposições. Araújo já apresentou seu trabalho no Centro de Cultura João Gilberto, em Juazeiro, e no Centro Cultural Palace, em Ribeirão Preto (SP).

A exposição “Um passado presente” é promovida pela Diretoria de Arte, Cultura e Ações Comunitárias (DACC) da Pró-Reitoria de Extensão (Proex) da Univasf. A visitação está aberta de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.

Lucas Sobreira

Confira as fotos: